quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Colheita de Fevereiro

Em comparação com o mês passado, as aquisições foram muito escassas - apenas um livro. Ainda assim, um livro que tem tudo para ser fantástico, desde a sinopse à autora. Aqui está ele:

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Novidade Presença: "Cidades de Papel" de John Green


Coleção: Noites Claras
Nº de Páginas: 344
P.V.P.: 14,31 €

Sinopse
«Quentin Jacobsen e Margo Roth Spiegelman são vizinhos e amigos de infância, mas há vários anos que não convivem de perto. Agora que se reencontraram, as velhas cumplicidades são reavivadas, e Margot consegue convencer Quentin a segui-la num engenhoso esquema de vingança. Mas Margot, sempre misteriosa, desaparece inesperadamente, deixando a Quentin uma série de elaboradas pistas que ele terá de descodificar se quiser alguma vez voltar a vê-la. Mas quanto mais perto Quentin está de a encontrar, mais se apercebe de que desconhece quem é verdadeiramente a enigmática Margot.
Cidades de Papel é um romance entusiasmante, sobre a liberdade, o amor e o fim da adolescência.»

O autor
John Green é um autor norte-americano muito aclamado, cujas obras estão traduzidas em mais de doze línguas. Foi distinguido com o Printz Award em 2006 e com o Edgar Award em 2009. Foi por duas vezes finalista do Los Angeles Book Prize e é um autor bestseller do New York Times.
Saiba mais sobre o autor em http://johngreenbooks.com/.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Novidade Civilização: "Depois" de Rosamund Lupton


Título original: Afterwards
Tradução: Odete Martins
Nº de páginas: 432
PVP: 16,90 € 
Lançamento: Fevereiro de 2013

Depois é o segundo romance da autora do bestseller Irmã, Rosamund Lupton. Entrou diretamente para o Top10 da Sunday Times Bestseller List nas primeiras semanas de vendas, foi #2 na lista de bestsellers do Sunday Times e #2 na de ficção da Amazon

Sinopse
«É um incêndio e eles estão lá dentro. Eles estão lá dentro… Fumo negro mancha o céu azul de verão. Uma escola está a arder. E uma mãe, Grace, vê o fumo e corre. Sabe que Jenny, a sua filha adolescente, está lá dentro. Corre para o edifício em chamas para a salvar. Depois, Grace tem de descobrir a identidade do autor do incêndio e proteger a sua família da pessoa que continua determinada a destruí-los a todos. Depois, tem de forçar os limites da sua força física e descobrir que o amor não conhece limites.»

A crítica
“Extraordinário […] de parar o coração […] um thriller muito bem construído” - Mail on Sunday
“Lupton aborda com visão e entusiasmo o tema do efeito corrosivo da ambição" - Guardian 
“Tal como o Irmã, seu romance de estreia, Depois é um best-seller garantido. Lupton encontrou uma forma de combinar emoção intensa com um enredo empolgante” - Daily Mirror

A autora
Rosamund Lupton ensina Literatura Inglesa na Universidade de Cambridge. Depois de vários empregos em Londres, incluindo  copywriting e revisão para a Literary Review, venceu uma competição para jovens escritores e foi selecionada pela BBC para um curso de jovens escritores. Foi ainda convidada para o grupo de escritores do Royal Court Theatre. Escreveu guiões originais para televisão e cinema, antes de escrever o seu primeiro romance, Irmã, um bestseller no Reino Unido e nos EUA. O seu segundo romance, Depoistambém já é um bestseller no Reino Unido. Rosamund vive em Londres, com o marido e os dois filhos.
Mais informações sobre a autora em www.rosamundlupton.com.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Iniciativa: "Unidos Pelo Livro"

Venho por este meio informar os meus caríssimos leitores que o Refém das Letras vai promover uma iniciativa intitulada Unidos Pelo Livro. Esta iniciativa é organizada pela Editorial Presença e tem como objectivo, tal como o nome revela, unir todos os interessados pelo mundo dos livros, numa única semana, e assim contribuir com mais um estímulo em prol do gosto pela leitura.
O blogue não podia ficar indiferente, e como tal foi com muito prazer que aceitei a proposta, que tem como público alvo a comunidade de leitores, mais especificamente vocês, leitores do blogue. Esta iniciativa consiste em oferecer aos leitores e seguidores do blogue um código oferta-exclusiva para utilização no site da Editorial Presença, ou seja, um desconto de 5€ em compras iguais ou superiores a 15€ no site da editora (aqui).
Mas há mais. O leitor que efectuar a compra também tem direito a um marcador exclusivamente criado para a iniciativa em causa, que pode ser visualizado na imagem abaixo:


Como podem constatar, é uma iniciativa fantástica para qualquer amante de livros, mas também para os que ainda não tiveram o prazer de mergulhar nas maravilhas do universo literário. Esperamos que o propósito Unidos Pelo Livro seja cumprido com sucesso, ao alcançar um maior número de leitores em toda a blogosfera.

Para poderem participar, terão que efectuar uma ou várias compras em www.presenca.pt, de valor igual ou superior a 15€, de 13 a 19 de Fevereiro (qualquer compra efectuada fora deste prazo não é abrangida pela iniciativa). De modo a terem direito ao desconto de 5€ e ao marcador, os leitores terão que utilizar um código cedido pelo blogue (cada blogue tem um código específico). O código do Refém das Letras é o seguinte:

UNIDOSPELOLIVRODKK3Y

O referido código será utilizado quando for efectuada a compra. Os seguintes passos ilustram como fazê-lo:

1. Vá a www.presenca.pt e escolha os seus livros;
2. Clique em «Comprar» (junto às capas dos livros); 
3. Clique em «Carrinho de compras» (no canto superior direito do site);
4. Identifique-se ou registe-se (no carrinho de compras);
5. Introduza o código no campo «Possui algum código-oferta? Introduza o seu código aqui» e clique em "Aplicar";
6. Clique em «Prosseguir a encomenda» e siga os restantes passos até finalizar a encomenda.

Ainda uma nota para a utilização do código: o mesmo não é acumulável com a utilização da conta-cliente. Ou seja, a partir do momento em que use o código não vai conseguir usar o valor em conta-cliente para pagar a encomenda.

É simples, não é? Por isso, façam já as vossas compras para garantir o direito ao desconto e ao marcador. Conto com a vossa colaboração para que esta iniciativa seja um sucesso. Vamos unir-nos pelo livro para que não se perca aquilo que de bom o livro significa para nós.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Novidade Saída de Emergência: "Dragões de um Crepúsculo de Outono" de Margaret Weis e Tracy Hickman

Nº de páginas: 448
Editora: Saída de Emergência
Colecção: Bang!
Lançamento: 22 de Fevereiro

O primeiro livro da saga As Crónicas de Dragonlance

Uma história de grande imaginação, inovadora e de leitura compulsiva vinda dos autores de fantasia mais populares desde J. R. R. Tolkien. 

Prepare-se para conhecer o clássico da fantasia Dragonlance que influenciou gerações de leitores com um novo mundo cheio de paixão e aventura.

Sinopse
«Anos após terem optado por seguir caminhos diferentes, um grupo de companheiros reencontra-se na sua terra natal apenas para descobrir que o mundo de Krynn mudou. Rumores de guerra e sombras dominam as conversas de estalagem e monstros e criaturas míticas que só existiam em lendas voltaram a ser avistados. E nenhum companheiro se atreve a confidenciar os segredos que oculta no coração e que descobriu em viagens cheias de perigo. 
Até ao dia em que um encontro ocasional com uma bela mulher, que detém em seu poder um bastão de cristal, arrasta os companheiros para o caos e muda as suas vidas para sempre. Ninguém esperava que se revelassem heróis. Muito menos eles. Mas conseguirão arranjar a força, honra e coragem para enfrentar os Deuses da Luz e Trevas no momento em que a Guerra da Lança está prestes a começar?»

sábado, 9 de fevereiro de 2013

O Código Da Vinci



Título original: The Da Vinci Code
Autor: Dan Brown
Nº de páginas: 544
Editora: Bertrand Editora
Colecção: Grandes Romances

Sinopse
«Robert Langdon, conceituado simbologista, está em Paris para fazer uma palestra quando recebe uma notícia inesperada: o velho curador do Louvre foi encontrado morto no museu, e um código indecifrável encontrado junto do cadáver. Na tentativa de decifrar o estranho código, Langdon e uma dotada criptologista francesa, Sophie Neveu, descobrem, estupefactos, uma série de pistas inscritas nas obras de Leonardo da Vinci, que o pintor engenhosamente disfarçou. Tudo se complica quando Langdon descobre uma surpreendente ligação: o falecido curador estava envolvido com o Priorado de Sião, uma sociedade secreta a que tinham pertencido Sir Isaac Newton, Botticelli, Victor Hugo e Da Vinci, entre outros.»

Opinião
Não é ao acaso que Dan Brown é um dos autores mundialmente mais afamados no presente século. Nomeadamente neste livro, que consta como um dos mais lidos de sempre, o autor baseia-se num assunto que tem tanto de deslumbrante quanto de controverso. Nesta ambiguidade, é difícil decidir qual o factor que faz de O Código Da Vinci um marco triunfante na literatura de hoje em dia. Evidente é que é essa ambiguidade que garante o sucesso de uma história que concilia o real com a especulação, numa aventura entre o passado e o presente, fulminante no seu decurso e bombástica no seu término.

O Código Da Vinci resulta de um conjunto de teorias e ideologias dentro de variados campos, sendo os principais a religião, a arte, a história e a ciência. É importante referir o que o autor deixa explícito logo no início: os factos são factos, ou seja, alusões a determinadas sociedades secretas, obras de arte, origens mitológicas e tantas outras referências não têm como objectivo enganar o leitor. São, portanto, factos que resultam de um extenso trabalho de pesquisa efectuado pelo autor. No entanto, não nos devemos esquecer que este livro se trata de um romance, tal como nos devemos recordar de tudo o que isso implica. Se as fontes de Brown são, na sua base, credíveis, o modo como o autor as gere e relaciona para produzir o romance deve ser considerado sob outra perspectiva. Ao envolver um tema tão delicado como a religião e contornando-o de uma forma completamente diferente àquela que é habitual, Brown arriscou-se a ser alvo de duras críticas pela comunidade mais conservadora, que vê neste romance um atentado às suas origens integras e puras. Mas mais uma vez, isto é um romance, não um compêndio de episódios da história da humanidade que os nossos antepassados nos transmitiram como herança. Acreditar ou não na teoria de Brown é algo que compete à liberdade do leitor. Afinal, estamos numa época liberal em que, supostamente, as ideias de cada um devem ser respeitadas, mesmo que se tratem de reflexões aparentemente inconcebíveis.

Transposto este conflito, concentremo-nos naquilo que é inegável: Dan Brown é um verdadeiro escritor que sabe como construir um enredo, como desenvolvê-lo, e mais importante, como nos envolver tão profundamente nele que mal conseguimos ter outros pensamentos em mente que não aqueles relacionados com a história que nos conta. Aliciante do início ao fim, repleto de enigmas que envolvem um improvável leque de personagens, O Código Da Vinci conduz-nos por uma intrigante e desenfreada tentativa de descobrir a verdade e onde ela se encontra. Embora seja esse o objectivo que as personagens têm em comum, entrelaçando-as mutuamente numa teia de acontecimentos, os motivos pelos quais o fazem são díspares. Nem sempre esses motivos são claros, e quando pensamos que são, revelam-se não o ser. Nalguns casos, só quase no final da obra se fica a conhecer o que move cada um, o porquê de estarem tão concentrados a possuir conhecimento da verdade. Esta constante mudança da certeza para a incerteza despoleta uma enorme curiosidade para continuar a leitura.

Esta é uma obra em que o ponto essencial é o enredo em si mesmo. A trama é imprevisível, cheia de reviravoltas surpreendentes. Ao longo das páginas, entre o culminar dos acontecimentos, somos confrontados com vastas informações sobre os assuntos já mencionados: religião, história, arte e ciência, essencialmente, que para além de adornarem de forma majestosa o livro, transmitem conhecimentos relacionados com essas mesmas vertentes. Não tenho dúvidas quanto à veracidade de determinadas afirmações, e só por adquirir essa aprendizagem já vale a pena ler o livro. Há, ainda assim, algumas perspectivas cujo carácter mais subjectivo pode suscitar algumas incertezas. No entanto, durante a leitura o autor faz-nos acreditar em tudo, seja real ou não, e isso é o que importa e que torna este romance profundamente aliciador.

As personagens que Brown criou não são particularmente excepcionais, nem mesmo o protagonista, Robert Langdon. Destacaria entre elas a inteligente e persistente Sophie que se revela mais que uma mera criptologista. No geral, são personagens simples, sem grande relevância emocional, que estão lá para que o autor nos possa transmitir os seus conhecimentos, os tais factos que nos irão guiar até às revelações finais. Além disso, é com as personagens que o autor evidencia as razões pelas quais cada entidade se iniciou nesta perseguição, patenteado por um lado uma crítica aos que pela posse do poder qualquer coisa são capazes de fazer, por outro a realidade daqueles que vivem numa ilusão que consideram uma verdade absoluta e inquestionável. É interessante ver o contraste de interesses das diferentes personagens como um conflito entre religião e história, que penso ser aquilo que o autor pretende com a inserção de figuras dos diferentes campos.

Quanto à escrita, é geralmente normal, razoavelmente cuidada. Mas neste género de livro, esse é um pormenor sem importância, pois o ritmo é tão rápido e cativante que o desejo do leitor é conhecer a história e não perder-se num mar de descrições ou perífrases desnecessárias.

Após conhecer as reflexões do autor, é altura para o leitor fazer as suas próprias reflexões. Qual é a fracção de verdade existente na trama, quanto dela é provavelmente falsa, sendo estas as questões que inevitavelmente acercam a nossa mente. Poucas obras conseguem fazer o que esta faz, que é por o leitor a pensar, a reflectir, a especular durante vários momentos após concluída a leitura. 

Dado que trata vários assuntos que interessam qualquer indivíduo, O Código Da Vinci suscita a curiosidade tanto do mais céptico como a do mais convicto. É uma obra eficaz e surpreendente, que no fundo tem um propósito filosófico, deixando a pairar a plausível questão: Até que ponto consegue o homem distorcer a verdade e fazer das suas palavras uma notável e engenhosa mentira para ser detentor de um poder tão grandioso, mas ao mesmo tempo, tão condenável?

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Selo: 2013 Literário


Chegou mais um selo ao Refém das Letras, carinhosamente oferecido pela Mónica do A Thousand Lives. Muito obrigado, Mónica! 
As regras para quem recebe o selo são:

1) Indicar no mínimo dois livros que gostou de ler em 2012 (sem limite máximo);
2) Indicar pelo menos três livros que deseje ler em 2013 (sem limite máximo);
3) Indicar o nome e link de quem ofereceu o selo;
4) Oferecer o selo a mais 10 pessoas para dar sequência a este projecto de incentivo à leitura.

1) No passado ano tive o prazer de experimentar autores que não conhecia, e que por sinal eram génios da literatura. O que mais me marcou foi, sem sombra de dúvida, George Martin com as suas Crónicas de Gelo e Fogo. O mundo de fantasia que conheci trouxe-me todo um conjunto de personagens únicas e pormenores característicos do género verdadeiramente aliciantes. Deste modo, A Guerra dos Tronos foi um dos meus livros preferidos do ano. É óbvio que gostei de todos os volumes seguintes da saga, mas o primeiro marcou-me por ser a primeira experiência na escrita de Martin.
Noutro género bem diferente, gostei bastante de ler Ricochete, de Sandra Brown, que provou ser um policial em que o carácter mais feminino na obra não foi motivo para tirar qualidade à mesma, repleta de acção e de momentos de suspense.
Estes são os dois livros que mais me marcaram em 2012, entre outros que gostei bastante de ler.

2) Este ponto já é mais extenso. Os livros que vão para a lista de espera são sempre muitos mais que aqueles que são lidos. Ainda assim, vou seleccionar alguns dos que mais me suscitam curiosidade e que, espero, irei certamente ler em 2013. São eles clássicos como Anna Karenina e Guerra e Paz, ambos de Leo Tolstoy, Os Miseráveis, de Victor Hugo, Grandes Esperanças, de Charles Dickens e tantos outros. 
Também espero ler muito mais fantasia, ao continuar sagas como O Mago, de Raymond Feist, as já referidas Crónicas de Gelo e Fogo de George Martin e iniciar outras obras, em especial As Brumas de Avalon, de M. Z. B., O Senhor dos Anéis de Tolkien, A Saga do Assassino de Robin Hobb e A Série Kushiel de Jacqueline Carey.
No campo do romance contemporâneo, estou muitíssimo interessado num autor que só conheci este ano, apesar de já andar para ler os seus livros há imenso tempo: Dan Brown. Adorei O Código Da Vinci, que em breve será analisado no blogue, e portanto quero mesmo ler outros trabalhos do autor para averiguar se o estilo é idêntico. Caso afirmativo, Dan Brown passa a constar como um dos meus escritores favoritos. Ainda gostaria de pegar em várias obras de Ken Follett, com destaque para Os Pilares da Terra.

3) Quanto a este assunto, já sabem. Foi a gentileza da Mónica do A Thousand Lives que trouxe ao blogue este fantástico selo.

4) Aqui ficam os blogues a quem eu ofereço este selo que, num fundo, é partilha que fazemos neste universo literário virtual:


Deste modo deixo os meus votos de boas leituras aos blogues seleccionados e, claro, a todos os leitores do Refém das Letras.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Novidade ASA: "Direitos de Sangue" de Kristen Painter

Nº de páginas: 376
PVP: 16,90€
Lançamento: 1 de Fevereiro

Direitos de Sangue é o primeiro volume da série A Casa das Comarré, de Kristen Painter, e um best-seller internacional. Com a publicação deste livro, Kristen Painter traz uma nova e sensual voz para o género de literatura ao apresentar-nos as Comarré - uma espécie híbrida de humanos, de extrema beleza, corpos tatuados e sangue inebriante, especialmente criada para alimentar uma poderosa raça de vampiros nobres.

Sinopse
«Chrysabelle esconde no corpo as marcas douradas e os segredos das comarré - uma raça especial de humanos criada para alimentar a elite de vampiros nobres com o seu sangue rico e poderoso. O destino dela está traçado desde sempre: servir incondicionalmente o seu patrono. Mas quando este é assassinado, a vida de Chrysabelle muda por completo. Finalmente pode ser livre, um sonho que nunca se permitira ter e que depressa se transforma num pesadelo. Ela é a principal suspeita do crime e do roubo de um anel mágico. O anel que a ambiciosa Tatiana está decidida a recuperar, custe o que custar. 
Chrysabelle atravessa o Atlântico para provar a sua inocência, e nesta demanda o seu caminho cruza-se com o de Malkolm, um poderoso e irresistível vampiro que foi renegado e alvo de uma maldição. Um inesperado aliado e a sua derradeira esperança de salvação. Ambos tentam combater a inegável atração que os une. Ele é chamado pelo sangue doce de Chrysabelle e por uma inexplicável necessidade de a proteger. Ela não consegue resistir a este ser perigosamente excitante e à necessidade de o livrar da maldição.
Mas o tempo urge. Ambos têm de unir esforços para travar os planos de Tatiana, que pretende acabar com o mundo tal como eles o conhecem e fundar um reino de trevas.»

A crítica
“Painter marcou pontos com este livro. Paixão e crime, vampiros e nobres – é original e lê-se de um só fôlego. Façam um favor a vós próprios e leiam este livro.” - Patricia Briggs, escritora

“Negra, intensa e intrinsecamente deliciosa. Esta série é de tal maneira fascinante que vai fazer com que os leitores implorem por mais.” - Gena Showalter, escritora

“Com paixão e intriga, Kristen Painter traz uma nova e sensual voz para o género dos livros de vampiros.” - L.S. Banks, escritora

“Prende de imediato, é corajoso e inventivo. Se gostam de homens perigosos, mulheres com garra e reviravoltas inesperadas, esta é a saga certa. A escrita envolvente de Kristen Painter e o enredo explosivo são a combinação perfeita.” - Larissa Lone, escritora

A autora
Kristen Painter é autora de numerosos romances de fantasia e paranormal. Tem no seu currículo várias nomeações para os prémios Golden Heart e louvores de alguns escritores bem conhecidos como Patricia Briggs ou Gena Showalter. 
Kristen, que já viveu em Nova Iorque, mudou-se para a Florida, onde reside atualmente com o marido. Para dar cor às suas histórias recorre várias vezes às suas próprias experiências e à época em que trabalhou no mundo da moda, na Christian Dior, ou como maître para a Wolfgang Puck. Foi ainda Personal Trainer
Para saber mais visite o site da autora em www.kristenpainter.comou o site desta coleção em www.houseofcomarre.com.