sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Promoção Porto Editora: "No Trilho dos Sonhos" de Bernarda de Souza (Coolbooks)


Formato: e-wook 
N.º estimado de páginas: 366 
PVP: 8,99 € 

Já está disponível, em coolbooks.pt e na livraria virtual wook.pt, a primeira aposta da Coolbooks na área do romance histórico. No Trilho dos Sonhos, de Bernarda de Souza, centra-se na figura de D. Dinis e aborda os amores e desamores de príncipes e princesas de Portugal e Espanha.

A Coolbooks está a oferecer, através do Refém das Letras, um desconto de 40% na aquisição deste livro. Para tal, basta utilizarem o código promocional E4SF9S2N aquando da compra do mesmo.

Pode aceder às primeiras páginas aqui.

Sinopse
«No trilho dos sonhos transporta-nos até ao século XIII, onde na Península Ibérica ainda há muçulmanos e as cortes recebem os trovadores com entusiasmo. Aqui conhecemos o príncipe D. Dinis, futuro rei de Portugal, que cedo se inicia nos caminhos da poesia, ficando conhecido na História como o Rei Trovador. Ao acompanhar a vida de D. Dinis e dos que lhe são mais próximos, percebemos como, na verdade, tanto a nobreza como o povo têm os seus destinos traçados, não tendo o poder de mudar as suas vidas conforme desejariam. D. Dinis é um rei em formação, que não esquece também a idade que tem e vive os amores e desamores da juventude. A relação com Zaida, uma moçárabe que o encantou, quase o faz perder a vontade de viver. Enquanto rei, as suas maiores decisões são tomadas em Conselhos. E foi num Conselho que se escolheu Isabel de Aragão, a Rainha Santa, para sua esposa, tal como se decidiu que o português passaria a ser a língua oficial em Portugal, em substituição do latim. Mas poderá desta decisão estratégica nascer um amor? Ou tudo não passará de um sonho?»

A autora
Bernarda de Souza nasceu em 1958 no Minho, no seio de uma família tradicional cristã. Filha mais nova de entre nove irmãos, cedo aprendeu com eles as primeiras letras, tendo sido encaminhada, aos onze anos, para fazer os seus estudos em Braga. Terminou o ensino secundário em Lisboa e concluiu aí, em 1982, a sua licenciatura na Faculdade de Letras de Lisboa. Escreveu alguns contos, já depois de ter começado a exercer a profissão de professora de Inglês e Português. O seu romance No trilho dos sonhos surgiu a partir de uma pequena narrativa sobre D. Dinis de Portugal.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Novidade Topseller: "Private Los Angeles" de James Patterson


Nº de páginas: 384
Lançamento: Já disponível

James Patterson não para de surpreender o mundo editorial. Não só porque continua imparável na publicação de bestsellers, como vai, numa campanha de marketing genial, vai fazer explodir, literalmente, um exemplar do quarto título da série Private, cujo terceiro título chega hoje às livrarias nacionais: Private Los Angeles.
Private é uma das séries de maior sucesso do autor mais bem-sucedido em todo o mundo (fonte: Forbes), com adaptação para televisão já em desenvolvimento e da responsabilidade da Sonar Entertainment e Tribeca Productions de Robert De Niro e Jane Rosenthal.

Sinopse
«Quatro homens são misteriosamente assassinados numa praia de Malibu, junto a um bairro de multimilionários. Jack Morgan, líder da Private, a conceituada agência internacional de investigação criada para proteger os mais poderosos, chega ao local do crime com o objetivo de ilibar um dos seus clientes e descobrir o verdadeiro assassino.
Mas eis que, a meio da investigação, Jack recebe um telefonema inesperado: Thom e Jennifer Harlow, o casal mais famoso de Hollywood, desapareceram sem deixar rasto, juntamente com os seus três filhos. Por entre revelações incríveis e descobertas chocantes, é missão da Private encontrar a família desaparecida, antes que a notícia chegue aos media e aterrorize o público.
Com dois casos tenebrosos para resolver, perseguições, assassínios, explosões mortíferas e alta velocidade, Jack, Justine e os restantes elementos da Private não terão mãos a medir para provar, mais uma vez, que são os melhores, os mais rápidos e os mais inteligentes.
Private Los Angeles é um thriller imparável de ritmo alucinante, com as reviravoltas inesperadas a que James Patterson já nos habituou.»

A crítica

«Patterson é imparável.» - USA Today

«James Patterson sabe como gerar emoções e suspense.» - People

«Private: Los Angeles é talvez um dos livros mais cinematográficos de Patterson. Daí o resultado: um thriller intenso e convincente, perfeito para um dia emocionante de leitura.» - BookReporter.com

O autor
James Patterson é desde há vários anos o autor n.º 1 absoluto em todo o mundo, segundo a revista Forbes. Patterson já criou mais personagens inesquecíveis do que qualquer outro escritor da atualidade. É o autor dos policiais Alex Cross, os mais populares dos últimos vinte e cinco anos dentro do género. Entre os seus maiores bestsellers estão também Invisível, Private: Agência Internacional de Investigação, The Women’s Murder Club (O Clube das Investigadoras), NYPD Red e A Amante.
Patterson é o autor que teve mais livros até hoje no topo da lista de bestsellers do New York Times, segundo o Guinness World Records. Desde que o seu primeiro romance venceu o Edgar Award, em 1977, os seus livros já venderam mais de 305 milhões de exemplares.
Em Portugal, James Patterson é publicado pela Topseller (Alex Cross, Private, NYPD Red, Confissões, Maximum Ride, Primeiro Amor, Invisível, A Amante, Um Anjo da Guarda) e pela Booksmile (séries juvenis Escola e Eu Cómico).

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Novidade: "A Segunda Vinda de Cristo à Terra" de João Cerqueira


Nº de páginas: 190
Editora: Estação Imaginária
Edição: 2015

O escritor João Cerqueira, premiado nos Estados Unidos e traduzido para inglês, italiano e espanhol, lança o seu novo romance A segunda vinda de Cristo à Terra.

Sinopse
«Após regressar à Terra e conhecer a activista Madalena que luta por um mundo melhor, Jesus ver-se-á envolvido em três situações de conflito.
Encontra um grupo ecologista radical que pretende destruir uma plantação de milho que supõe geneticamente modificada. Assiste à revolta dos habitantes de uma vila contra um empreendimento turístico que vai ser construído numa reserva florestal. Por fim, testemunha um conflito armado entre negros e ciganos.
Neste périplo irá conhecer vários personagens: os referidos ecologistas, um padre que o obriga a confessar-se, um autarca corrupto, empreiteiros sem escrúpulos, um Comandante da GNR obrigado a fazer de Pilatos, os habitantes de um bairro degradado, um bruxo, e um negro e uma cigana apaixonados.
Porém, conquanto se limite a acompanhar Madalena, tentando apenas pacificar os desavindos, nem assim Cristo volta a escapar à fúria dos homens.
E apenas um farsante o irá reconhecer.
Mediante a ironia e o sarcasmo A Segunda Vinda de Cristo à Terra aborda fenómenos de conflitualidade social e política que ocorreram no nosso país.
Mas no fim é Portugal quem acaba posto na cruz.»

O autor
João Cerqueira é mestre e doutorado em História da Arte pela Faculdade de Letras do Porto (A casa de férias do Concelho de Caminha; Por mares antes navegados: José de Guimarães na rota dos Descobrimentos e do Encontro de Culturas). Foi bolseiro da F.C.T, professor do ensino secundário e colaborador da revista Arte Ibérica e do jornal Aurora do Lima. Apresentou a conferência Guernica e a Guerra Civil de Espanha na Fundação Mário Soares, na Sociedade dos Amigos da Republica em Ourense e na livraria Zouk em Porto Alegre. É autor dos livros Arte e Literatura na Guerra Civil de Espanha (publicado em Portugal e no Brasil), A Culpa é destas Liberdades, A Tragédia de Fidel Castro, As Reflexões do Diabo, Maria Pia: Rainha e Mulher (em co-autoria com Manuel Pavão), José de Guimarães: Arte Pública (catálogo), José de Guimarães (publicado na China pelo Today Art Museum). Os seus romances recorrem à ironia e ao humor para satirizar a sociedade contemporânea.
É representado pela agência literária Kontext Agency .
Pode encontrar mais informações em www.joaocerqueira.com.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Iniciativa: Livros sem capa procuram leitores apaixonados para relacionamento sério



Sabia que a capa de um livro pesa, pelo menos, 60% no seu processo de decisão para o escolher? E quanto pesa a aparência física na escolha de um grande amor? Não sabemos, mas afiançamos que, tal como as ilustrações das capas, esteja claramente sobrestimada.

E se as capas não existissem? Como escolheríamos os livros e as histórias pelas quais nos apaixonamos? É este o mote da ação do Dia dos Namorados nos centro comerciais Alegro Alfragide e Alegro Setúbal promovidos com o apoio da LeYa e da Fnac, em plena época de São Valentim, de 7 a 15 de fevereiro. Durante este período, os dois centros comerciais Alegro vão desafiar os seus visitantes a terem um envolvente blind date, mas com livros. O objetivo é que os visitantes peguem num qualquer livro com a capa escondida (todas estarão escondidas) e leiam as primeiras 10 páginas do mesmo, sem julgar a história pela sua capa. A experiência pode ser arrebatadora: histórias nas quais nunca “viajaria” podem, de repente – e livremente - surpreender. Esta experiência pode ser vivida por solteiros, por casais apaixonados, e até na companhia dos elementos mais pequenos da família, que terão à sua disposição um cantinho de leitura infantil e atividades aos fins-de-semana.

A ação envolve mais de 1.000 livros, impacientemente anónimos e a postos para saltarem das prateleiras para as mãos dos leitores. Haverá, ainda, mensagens perdidas no interior dos livros, oferta de marcadores personalizados com fotografias tiradas no momento (exclusivo dias 14 e 15), cartões oferta Alegro no valor de 10 euros e, claro, promoções imperdíveis nos livros escolhidos para um relacionamento sério.

P.S. os amores literários que já não tenham lugar no coração e na casa do leitor, poderão ser doados no próprio espaço para serem entregues a duas instituições locais.

Locais: junto às lojas FNAC dos centros comerciais Alegro Alfragide e Alegro Setúbal

Datas: de 7 a 15 de fevereiro 2015

Horários: sábados e domingos, das 10h às 21h; de segunda a quinta-feira, das 16h às 20h; sexta-feira das 16h às 21h

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Não Digas Nada


Título original: The Good Girl
Autora: Mary Kubica
Nº de páginas: 336
Editora: Topseller

Sinopse
«Um thriller psicológico intenso e de leitura compulsiva, Não Digas Nada revela como, mesmo numa família perfeita, nada é o que parece.
Tenho andado a segui-la nos últimos dias. Sei onde faz as compras de supermercado, a que lavandaria vai, onde trabalha. Nunca falei com ela. Não lhe reconheceria o tom de voz. Não sei a cor dos olhos dela ou como eles ficam quando está assustada. Mas vou saber.
Filha de um juiz de sucesso e de uma figura do jet set reprimida, Mia Dennett sempre lutou contra a vida privilegiada dos pais, e tem um trabalho simples como professora de artes visuais numa escola secundária.
Certa noite, Mia decide, inadvertidamente, sair com um estranho que acabou de conhecer num bar. À primeira vista, Colin Thatcher parece ser um homem modesto e inofensivo. Mas acompanhá-lo acabará por se tornar o pior erro da vida de Mia.»

Opinião
Um desaparecimento, na maioria dos casos, é a premissa para um caos desenfreado de sentimentos, pensamentos e até acções. A ignorância do paradeiro daquela pessoa torna-se angustiante à medida que os dias passam, sendo que a esperança nunca morre, mas apesar disso desvanece-se. Não obstante, quando o problema fica solucionado, tudo volta ao normal. Gradualmente, mas volta. Em Não Digas Nada, o desaparecimento de Mia é apenas o início dos problemas. Fica definido à partida que a família Dennett não é uma família normal. Aparentemente com tudo de bom a que têm direito, os Dennett têm falta do mais importante pilar que constitui uma família - as relações interpessoais. Esta ideia é o motor do livro e um quadro a que muitas vezes se recorre sob diversas perspectivas. 

E é precisamente na forma de perspectivas que se compõe este livro, uma ideia que, dentro do género policial, faz todo o sentido. Intercalado entre Eve, Gabe e Colin, o foco narrativo muda constantemente para dar a conhecer as várias perspectivas dentro do caso. Esta estratégia é inteligente e funciona na perfeição, ao desvendar aos poucos informações cruciais que vão compondo o puzzle mistério. Além disso, consegue criar-se uma empatia com cada uma das personagens, sendo por vezes difícil decidir uma posição de favoritismo, o que é inevitável numa situação em que há inequivocamente um lado bom e um lado mau. Cada personagem preenche-se, pois, de uma singularidade que justifica as acções que levam a cabo.

A história desenrola-se à volta de Mia, no entanto só a conhecemos a partir das figuras que a rodeiam. Os olhares esculpem uma jovem independente, criativa, com a força necessária para fazer mudar o pequeno mundo dos outros. Mia divide-se em dois momentos cruciais, tal como esta obra se divide num antes e depois, num passado e num futuro. A interpretação que se faz de Mia deve ter em conta o ponto de vista psicológico associado ao acontecimento que a transformou, nem sempre sendo óbvio o porquê do seu comportamento. Na verdade, só é possível perceber o impacto desta personagem no momento final em que se cessam as dúvidas - é Mia quem mais surpreende, pois nela está a chave do mistério. Colin é o homem que Mia conhece e que muda o seu destino, alguém que tem mais do que à partida se vê. Eve é a mãe de Mia, um alma sofrida na sua perda e que atravessa uma fase de introspecção, algo importante para as decisões que acaba por tomar. Gabe é um intermediário que averigua a linha que separa a dúvida da verdade, e uma ajuda tremenda principalmente para Eve. Como figuras principais, torna-se interessante ver como as suas vivências se cruzam e dão lugar a uma dependência mútua, da qual surge uma necessidade de constante presença e comunicação.

Como romance policial, este livro está bem construído e serve o seu propósito. Não existe uma trama demasiado complexa nem uma história absolutamente brilhante, mas a simplicidade com que se tecem os acontecimentos e se revela o interior das personagens intervenientes é suficiente para manter a curiosidade à tona e querer devorar as páginas de modo a conhecer o que, efectivamente, aconteceu. Aqui está um dos pontos fortes: os saltos temporais entre o passado e o presente permitem que se conheça o desfecho da obra, mas sem saber como aí se chegou, que é indubitavelmente o mais importante.

Quanto à narrativa, a autora conseguiu manter o suspense com um ritmo constante e apelativo, em parte devido à linguagem simples que não implica muita reflexão, antes conduz o leitor rapidamente entre os pequenos capítulos. Esta, outra estratégia que permite tornar a leitura ainda mais célere. De notar que, por vezes, os capítulos são pequenos demais para existir conteúdo significativo, pelo que surge a ânsia de continuar até que algo aconteça.

Assim, em Não Digas Nada alia-se uma história interessante, em que o mistério prende a atenção do leitor, com uma narrativa simples e singular que se traduz num infalível entretenimento literário. Mary Kubica tem uma estreia bastante positiva que, espero, seja apenas um primeiro passo dentro deste género que soube tão bem explorar.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Novidade Bertrand: "Um Homem e o seu Cão" de Thomas Mann


Género: Ficção 
Tradução: Sara Seruya
N.º de páginas: 120 
Data de lançamento: 6 de fevereiro

Sinopse
«Um Homem e o Seu Cão é a comovente história da relação de Thomas Mann com o seu perdigueiro alemão. Desde o primeiro encontro, numa quinta, Mann conta como gradualmente começa a amar este animal inteligente, leal e cheio de energia. Durante os seus passeios diários, Mann começa a compreender e apreciar Bauschan enquanto ser vivo, testemunha o seu prazer em caçar lebres e esquilos e as suas meticulosas inspeções a pedras, galhos e folhas húmidas. Mann reflete sobre a vida interior do animal e maravilha-se com a facilidade com que ele confia totalmente em si, pondo a sua vida nas mãos do dono. Os dois desenvolvem uma compreensão mútua com o passar do tempo, mas Mann ganha também consciência de uma divisão intransponível que os separa. E, como em todas as relações, existem momentos de tensão, frustração ou desilusão, mas que são sempre superados por uma ligação íntima, profunda e de grande amizade entre os dois. Uma história encantadora de amizade entre um homem e um cão.»

O autor
Thomas Mann é um dos maiores romancistas do século XX. Nasceu na Alemanha, em 1875, e recebeu o Prémio Nobel em 1929. Deixou a Alemanha quando Hitler subiu ao poder, primeiro para viver na Suíça e depois nos Estados Unidos, tendo-se tornado cidadão americano em 1936. É autor de obras-primas como A Montanha Mágica, A Morte em Veneza, Os Buddenbrook e Doutor Fausto. Morreu em Zurique em 1955, aos oitenta anos.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Relançamento Presença: "Anna Karénina" de Lev Tolstói


Título Original: Anna Karénina 
Tradução: Nina Guerra e Filipe Guerra 
Páginas: 800 
Coleção: Obras Primas da Literatura Nº 6 

Sinopse
«Anna Karénina é um retrato ímpar, na sua riqueza e densidade, da sociedade russa de finais do século XIX, que abrange diferentes estratos da população, atividades sociais, tendências ideológicas, polémicas económicas, sociais e políticas, e que encerra uma crítica acutilante à nova aristocracia russa da época. Os dramas familiares, com os seus problemas morais, a sua busca de um ideal para a vida em matrimónio, surgem em franca ligação com o panorama geral da vida, o sistema de valores, os hábitos, os conceitos éticos e religiosos. Mas é também uma das maiores histórias de amor da literatura universal, e uma das mais trágicas, protagonizada por Anna Karénina, a bela mulher de um aristocrata muito rico e o Conde Vrônsky, um galante oficial do exército. Com Anna Karénina, Lev Tolstói elevou à perfeição o romance de realismo social e criou uma das heroínas mais amadas da literatura de todos os tempos. A presente edição foi traduzida diretamente do russo por Nina Guerra e Filipe Guerra, distinguidos com o Grande Prémio de Tradução Literária APT/Pen Clube Português.»

O autor
Nascido numa família nobre, em Iasnaia Poliana, na Rússia, a 9 de setembro de 1828, Lev Tolstói ficou órfão aos nove anos e foi educado por preceptores. Em 1843, iniciou o curso de Letras e Direito na Universidade de Kazan, mas desistiu dos estudos a meio. Regressou à terra natal, passando largos períodos em Moscovo e em São Petersburgo. Em 1851, data em que começou a escrever, alistou-se no Exército, seguindo o seu irmão mais velho para o Cáucaso, tendo mais tarde participado na Guerra da Crimeia. As suas experiências no campo de batalha contribuíram como material para a representação realista dos horrores da guerra, nas suas obras posteriores. Em 1856, abandonada a carreira militar, Tolstói viajou pela Europa, visitando diversos países. Estas viagens formaram o desenvolvimento das suas ideias políticas e filosóficas, sendo especialmente influenciado por Victor Hugo e a obra Os Miseráveis, assim como pelo pensamento de Proudhon. Ao regressar à Rússia, isolou-se na sua propriedade rural e, em 1865, iniciou Guerra e Paz, que lhe consumiu sete anos de trabalho. Na década de 1870 escreveria Anna Karenina. Ambas figuram entre as maiores obras da literatura mundial. Escreveu ainda muitas outras obras, com destaque para Ressurreição (1999), já editada pela Presença, o último livro publicado em vida do autor e que completa o trio dos seus grandes romances.