terça-feira, 26 de julho de 2011

Crepúsculo


Título original: Twilight
Autora: Stephenie Meyer
Nº de páginas: 480
Editora: Gailivro
Colecção: 1001 Mundos

Sinopse
«A mudança de Isabella Swan para Forks — uma cidade pequena do estado de Washington — podia ter sido o passo mais entediante que ela jamais dera. No entanto, quando ela conhece o misterioso e cativante Edward Cullen, a sua vida sofre uma viragem emocionante e aterradora. Até este momento, Edward conseguiu manter a sua identidade vampírica em segredo na comunidade em que vive. A partir de agora, porém, ninguém está a salvo, sobretudo Isabella, a pessoa que Edward mais preza. O casal de namorados dá por si precariamente equilibrado no fio da navalha — entre o desejo e o perigo.»

Opinião
Quando escolhemos um livro para ler, normalmente a primeira coisa em que reparamos é a capa. É o que mais nos chama a atenção, mas poderá ser o mais enganador que há num livro. Isto foi o que me aconteceu primeiramente com esta obra. Vi-a em várias livrarias, em certos sítios na Internet, mas nunca me debrucei a ler a sinopse porque a dita imagem dos dois braços com a maça não me cativava de todo. Nem o título me sugeria uma história interessante, e não conseguia de modo algum relacioná-lo com o tema de capa.

Alguns anos depois, alguém me diz que no cinema está em exibição um filme com o nome de "Crepúsculo", baseado naquela obra. Mais uma vez, não me interessei. Contudo, o meu pouco ou nenhum interesse iria mudar quando amigos meus me falam do filme. Tanto eles como elas me diziam que era um filme fantástico, comovente e um dos poucos que os manteve estáticos nos assentos da sala de cinema. Fiquei bastante curioso, e não resisti a comprar um bilhete nesse mesmo dia. E para meu espanto, tornou-se um dos meus filmes favoritos, que eu certamente iria adquirir em DVD e rever muitas vezes.

Não queria ficar por ali. A história era demasiado bonita e especial para ser unicamente marcada pelo filme. Já sabia que existia uma obra que lhe deu origem. Lê-la estaria nos planos das férias mais próximas, ou talvez até mais cedo, se não me importasse de passar algumas madrugadas acordado e no dia seguinte ficar com olheiras enormes. Decidi ler os primeiros capítulos lentamente e esperar pelo tempo em que pudesse dedicar totalmente à leitura. Embora essa fosse a minha ideia, tal não foi obviamente possível.

Tinha conhecimento da história, todas as personagens figuravam na minha mente, bem como os locais que servem de cenário ao desenrolar da acção, logo não havia maneira de passar muito tempo a imaginar esses detalhes, se bem que o livro incluía um catálogo bem mais vasto.

Um fim-de-semana bastou, deste modo, para concluir a minha leitura. Não houve um único momento em que eu quisesse deixar Forks e aquele ambiente misterioso. As descrições fabulosas, os diálogos espontâneos e o suspense aterrador fizeram daquele enredo um magnífico e irresistível conto de fadas para jovens adultos, com uma única e especial história de amor.

Gostei do facto da autora ter desenvolvido ao pormenor o relacionamento entre Bella e Edward e o quão forte se foi tornado ao longo do livro, e não se limitar apenas à narração de conteúdo sobre os seres sobrenaturais que tanto intrigam o leitor, deixando alguns destes aspectos para as próximas sequelas. Este pano de fundo reforça a ideia de um grandioso amor impossível, visto que Edward pertence a um mundo ao qual Bella não faz parte. Assim, penso que consegue captar melhor a atenção de quem tem a intenção de se manter fiel e continuar interessado nesta saga.

Ao escrever o livro na primeira pessoa (pela visão de Bella Swan) a autora transmite pensamentos mais profundos e realísticos do que se fosse uma narradora ausente, outro facto que me agradou nesta obra.

O modo como está escrita é perfeitamente acessível, permitindo desta forma uma leitura fluente e uma apreensão mais rápida dos acontecimentos. Ainda assim, Stephenie Meyer não se poupou às descrições e adjectivações tanto das personagens como dos espaços, mas como é evidente tudo isso faz parte da essência de um livro.

O final foi de certa forma inesperado, a meu ver (é um pouco diferente do filme), algo que eu valorizo muito e assim sendo foi o que mais gostei do livro, embora o fim signifique que o livro está a chegar ao fim. Porém, não há que desesperar pois aguardam-me três sequelas recheadas de novos mistérios, personagens e intrigas que certamente tornarão mais forte o meu gosto por a saga Luz e Escuridão.   

0 comentários:

Enviar um comentário