segunda-feira, 2 de julho de 2012

Novidade Bertrand: "A Valsa Esquecida" de Anne Enright


Género: Romance
Tradutor: Ana Falcão Bastos
Formato: 15 x 23,5 cm
N.º de páginas: 232
Data de lançamento: 29 de junho
PVP: 15,50 €

Autora vencedora do Man Booker Prize, Anne Enright foi também, com este livro, finalista do Orange Prize e vencedora do Andrew Carnegie Medal for Excellence.
Uma história marcante, de desejo, segredos e perdas.

«No inverno de 2009 nevou em Dublin. Gina recorda a senda de desejo e de acaso que a levou a apaixonar-se por Seán, «o amor da sua vida», e a deixar o homem com quem vivia. Enquanto a cidade lá fora fica paralisada, Gina recorda os tempos que passaram em diversos quartos de hotel: longas tardes que a felicidade e a negação tornaram indistintas. Agora, enquanto as ruas silenciosas, a quietude e a vertigem da neve que cai tornam o dia luminoso e pleno de possibilidades, Gina enfrenta a intempérie para se ir encontrar com uma rapariga a quem chama o «belo erro» de Seán: Evie, a sua frágil filha de doze anos.
Neste romance extraordinário, que é uma espécie de caixa de segredos, Anne Enright dirige-se diretamente aos leitores com o relato de acontecimentos súbitos e decisivos da vida quotidiana, com as relações voláteis entre as pessoas, com a frescura do olhar para cada estremecimento e gesto, com a captação irónica e exata das famílias, do casamento e da fragilidade da meia-idade.»

A crítica
«A prosa reluzente de Enright capta os matizes de luz e trevas que existem na natureza e na sociedade, criando com habilidade personagens memoráveis que vivem muito ocupados com os inúmeros pequenos nadas que constituem o drama da vida quotidiana.» - Time Out Chicago

«Valsa Esquecida é uma coisa rara: uma obra literária que não conseguimos parar de ler (…) É uma representação intensamente terna dos complexos laços familiares que nos unem, um retrato delicado sobre o amor, a perda e a esperança, de uma escritora muito talentosa.» - Financial Times

«Este romance lírico e muito bem escrito é um retrato das tensões familiares e da penumbra apática na qual uma amante tem de viver.» - Sunday Express

«Passando da rebentação inicial do desejo para os compromissos da vida de Gina pós-divórcio, com o seu amante e a sua filha adolescente, cuja deselegante presença dá ao livro a sua pungência fundamental, Enright sugere que há uma tragédia silenciosa na mediocridade do adultério nos tempos modernos, na qual os custos da traição são medidos menos em termos de vergonha do que em termos de vendas de casas.» - Vogue

«Este romance deslumbrante (…) mostra o seu brilho através da forma surpreendentemente eficaz com que a história é contada (…) As vicissitudes do amor extraconjugal (…) são acompanhadas de uma clareza crua, expressa numa prosa magnética e precisa.» - Booklist

«Tudo em [Valsa Esquecida] foi orquestrado na perfeição, e está tão bem escrito que poderia lê-lo uma vez apenas pela sua prosa deslumbrante e depois começar de novo pelo seu conteúdo (…) Este livro faz-me pensar que Enright seria capaz de fazer qualquer coisa (…) É difícil dizer o que é mais gratificante neste livro: as suas complexidades emocionais ou a elegância frugal da sua prosa (…) Sugiro que pegue neste livro, se encoste para trás e deixe que Enright o leve para onde ela quiser.» - Washington Post

A autora
Anne Enright nasceu em Dublin, onde atualmente vive e trabalha. Publicou dois volumes de contos, compilados com o título de Yesterday’s Weather, um
livro de não ficção intitulado Making Babies e quatro romances, o mais recente dos quais é Corpo Presente, o Man Booker Prize de 2007 e classificado como O Romance Irlandês do Ano.

0 comentários:

Enviar um comentário