quarta-feira, 5 de setembro de 2012

O Fio do Destino



Título original: An Invisible Thread
Autores: Laura Schroff e Alex Tresniowski
Nº de páginas: 240
Editora: Edições ASA
Colecção: ASA Documentos

Sinopse
«E foi nesse momento que a vida de Laura mudou para sempre. Com uma carreira de sucesso no USA Today - o maior jornal americano - ela era uma mulher privilegiada mas solitária. O seu passado encerrava segredos dolorosos que a impediam de se sentir realizada e feliz. Quando viu Maurice pela primeira vez, Laura não poderia imaginar quão importante viria a ser na vida daquele menino. Maurice tinha apenas seis anos mas a sua história era já devastadora. Com o corpo e o espírito marcados por anos de abandono e fome, o único mundo que conhecia era o da violência e do caos. Com a sua tenra idade ele já sabia o suficiente para temer pela própria vida. Não rezava, não sabia como, mas pensava: Por favor, não me deixem morrer. E de certo modo, esta era a sua pequena oração. Contra todas as expectativas, Laura seria a resposta à sua prece. Com pequenos gestos de bondade, ela permitiu-lhe ter fé no futuro pela primeira vez. E Maurice retribuiu, ajudando-a a descobrir-se a si própria e à sua capacidade de amar. A amizade entre ambos transformou e enriqueceu as suas vidas. Laura e Maurice são até hoje a prova de que tudo é possível quando abrimos o coração aos outros.»

Opinião
É quando menos esperamos que o momento mais banal se pode transformar na chave para o futuro e a solução para a nossa felicidade. É quando menos esperamos que a nossa vida pode mudar completamente para algo que nunca antes tínhamos idealizado. É com um desses acontecimentos que se gera O Fio do Destino, um relato intenso, cru e enternecedor de duas vidas que, afinal, nada seriam sem a presença uma da outra.

Foi com um simples gesto que Laura desencadeou a reviravolta da sua vida e da vida da pessoa que recebeu a sua ajuda, Maurice, um menino que mendigava na rua. Gesto esse que poderia não ter passado de um simples acto de bondade, e que caso Laura fosse uma pessoa como todas as outras, seria o que de facto se sucederia. Mas o seu gesto foi muito mais além, muito mais longe que consciência de um banal cidadão de Nova Iorque permitiria. Ela agiu e atreveu-se a testar os seus limites emocionais e culturais em prol de alguém que a todos os olhos é diferente, mas que ela considerou verdadeiramente especial.

Não consigo empreender uma leitura baseada em histórias verídicas como me dedico a uma leitura ficcional. É-me impossível sentir o mesmo e pensar de modo igual no que é narrado. Saber que o mundo que estamos a conhecer num livro destes é real faz toda a diferença. A viabilidade dos factos torna o clima da leitura, embora não pareça, mais “pesado” e “chocante”, pois por vezes é difícil crer no que se lê, e aqui não há alternativa.

As realidades das duas figuras principais, Laura e Maurice, não atenuam em nada essa perspectiva. Primeiro somos confrontados com a de Maurice, um menino negro que vive sob precárias condições, cujo presente elimina quaisquer esperanças para um futuro melhor, e cujo passado ao ser revelado aos poucos torna a sua situação cada vez mais dura. Em oposição, Laura apresenta-se como uma mulher bem-sucedida, determinada e feliz, mas que ao ser revelada a sua história, conhece-se o seu sofrimento, as suas dificuldades e memórias de uma vida agitada que não lhe permitem sentir-se totalmente realizada. Fiquei surpreendido em como duas pessoas aparentemente tão diferentes e pertencentes a diferentes níveis de vida possam ter um passado tão semelhante que constitui tempos difíceis. Em ambos, mais cedo em Maurice que em Laura, se denota que as suas convicções têm em mente todo o que viveram, sendo pois pessoas muito assentes no seu chão e desprovidas de grandes sonhos (o que, claro, muda quando os dois se relacionam e ensinam um ao outro de que é feita a vida) ainda assim conseguindo ser espíritos dotados de uma coragem e força imensa, o que os permite ultrapassar as suas múltiplas adversidades.

A escrita do livro é simples. Clara e realista. Se de um modo se descreve directamente o amor patente na relação entre Maurice e Laura, também com a mesma facilidade se demonstra os aspectos mais cruéis das suas vidas. Não há rodeios à questão. A verdade é inquestionável, por mais dura ou doce que seja. E isso torna a leitura imparável.

Este Fio do Destino é a prova que há sempre algo de bom reservado para cada um de nós, que a solução para os nossos problemas pode encontrar-se na próxima esquina, num menino que pede uma moeda. É o exemplo de que é preciso ter esperança para viver, de que o destino encarregar-se-á de nos guiar pelo caminho certo e encontrar o que no nosso íntimo sempre procurámos. Como expressa o provérbio que é a essência desta história, Um fio invisível une todos aqueles que estão destinados a encontrar-se. Pode esticar-se ou emaranhar-se. Mas nunca se partirá.

0 comentários:

Enviar um comentário